terça-feira, 2 de novembro de 2010

Farrapo humano..

 
 Do frio do sol e do relento
Como cinzas, pó, terra gretada
Sem carinho
Trabalhas sem sustento
Como desertos que não criam nada
Flagelo humano
De destino mal traçado
Fustigado pela dor e tormento
Coração ferido,rosto cansado
Farrapo humano atirado ao vento
Á deriva, olhando em busca de nada
Um resto de esperança para repousar
Sem uma enxerga ou manta rasgada
Como magia, para á noite sonhar !
Um abraço, boa semana, bichodeconta

9 comentários:

Osvaldo disse...

Ell;

Caramba, que belo poema, daqueles que leio e fico triste. Mas se fiquei triste ao lê-lo foi porque o poema conseguiu me interiorisar no tema, um tema hoje tão usual, banal e natural que nos faz pensar para onde corre a humanidade.
Gostei imenso.
bjs, Ell e abraço para o Bras.
da Ana e Osvaldo

Bichodeconta disse...

Obrigada Osvaldo, quantas saudades vossas, Espero que estejais bem de saude..Nessas palavras retrato apenas a vivencia que se presencia aqui em redor.. E junto a minha á tua voz nessa questão:Para onde corre a humanidade..Beijinho aos dois, o Bas envia um abraço de amizade também..

Graça Pires disse...

Um poema cheio de tristeza e lucidez.
Um beijo.

Sofá Amarelo disse...

Uma realidade cada vez mais multiplicada e que vamos constatar cada vez mais, infelizmente, em virtude de homens que não sabem nem querem gerir o tempo e que desenham destinos em traços mal traçados...

Um beijinho grande!

Bichodeconta disse...

Nada de novo no Horizonte..Beijinho..

laura disse...

O dia de cada um, hoje feliz
amanhã
não sabermos onde vamos estar
se num lar com todas as mordomias
se na rua com os pés
de frio, a tiritar!...

Bichinho de conta, Ainda não consigo digerir o porquê de pessoas que andam na mendicidade ou no trabalho árduo sem sequer para o pão ganhar.

Um beijinho da laura

Bichodeconta disse...

Ambas questionamos o porque,ambas desejaríamos que tal não acontecesse, infelizmente, indiferente á nossa vontade a miséria prolifera á nossa volta e cada vez mais há pessoas que não tem o que comer e vestir..As crianças são de facto a minha maior preocupação, infelizmente não depende de mim o bem estar do Mundo..Beijinho a ti Laurinha..

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Bichinho de conta,

A tua visita ao meu cantinho verde agradou-me. isto faz-me lembrar que há pelo menos 2 anos que não vejo tais bichos na minha casa. Estranho...porque eu não lhe faço mal.
Quando é que se conseguirá erradicar a miséria ? Pergunta sem resposta, infelizmente !
Beijinhos
Verdinha

Laura disse...

Pois é nininha e quando se vê tantos luxos num mundo onde a fome impera, dá cá uma vontade de gritar... mas, quem nos ouve? tadinhas das crianças e dos mais velhos.

Um xi apertadinho para ti, da laura