domingo, 19 de julho de 2009

Bom final de semana..

Hoje deixo aqui mais uma estória ,não de lebres ,mas uma de entre tantas e tantas outras .Eram Estórias contadas á lareira, pelo meu pai, ás filhas, seis meninas hoje mulheres, claro.Só mais tarde viria a concretizar-se um desejo do pai, a vinda de um rapaz..Sétimo e último filho, o meu irmão João que já não está entre nós..Com o pai aprendi a gostar da arte de caçar, sendo a única das filhas que atirava por vezes em exercicío de brincadeira em que o pai iniciava os mais afoitos, tal como o pai tinha boa pontaria. O pai foi seguramente o caçador mais temido por coelhos e guardas florestais da região..Cumpre-me dizer que somos do Alentejo, e conto-vos aqui em primeira mão uma história que se repetia muitas vezes e em que o pai era actor principal..Havia na Herdade do Pedrogão, pertença do ganadero António José da Veiga Teixeira, havia dizia eu, um guarda florestal (Ramos de seu nome)que treinou a Égua em que se fazia deslocar pelo latifúndio a correr ao som dos tiros dos caçadores. Aí o Pai, combinava com o Bartolomeu Cornacho, Com o professor Gabriel, e outros amigos cujos nomes não me recordo agora.. O pai levava bigodes e patilhas que eu á noite fazia em feltro preto e o pai de manhã colava para se disfarçar, e com os amigos distribuídos estratégicamente em lugares que eles conheciam..Assim quando o dito Srº Ramos se aproximava do lugar onde o pai estava, do outro lado da herdade um dos amigos atirava e a égua virava a garupa e deslocava-se a galope na direcção de onde ouvira o tiro.. Ai o pai e os outros dois podiam caçar em paz durante algum tempo.O tempo suficiente para a égua chegar próximo do que havia atirado, então outro atirava e lá segui a égua, esfalfada na direcção contrária.. Divertiam-se e divertia- mo-nos saber que o pai e companheiros trocavam as voltas ao referido guarda florestal. As caçadas eram abundantes.. Depois era a tarefa de tirar a pele aos coelhos, eu adorava desempenhar essas tarefa, perna do coelhinho num prego e a pele saia inteira como uma roupa, também gostava de arranjar os peixes do rio ou barragem que o pai pescava.E desde o achegã ás enguias, barbos, carpas,pampos , Nem as lampreias escapavam em anos de cheia em que as águas subiam mais, permitindo que as lampreias se deslocassem para aquelas bandas.. Com o pai ganhei gosto por encher cartuchos, por as buchas e fazer o rebordo na máquina que tinha de ser bem apertada de forma a que o cartucho ficasse perfeito..Privilégio ser filha daquele homem maravilhosos, que até pescava rebuçados enqunto nós as filhas brincávamos na areia.. Tenho tudo escrito, tenciono publicar assim o consiga.. Quando eu for grande quero ter uma arma como a do pai.Quero calcorrear os campos, ver os bandos de perdizes que por vezes persigo fazendo do meu pobre carro um todo o terreno, isto só para ter o prazer de as ver, sós ou acompanhadas dos filhotes.Ver as lebres que dormem de olhos abertos, atirar uma pequena pedra e vê-las ficar em sentido, atirar uma com mais força e vê-las ficar em pé, orelhas espetadas, ai atiro a pedra pra mais próximo delas de forma a poder ver a beleza da sua corrida em campo aberto. Falar do meu pai é voltar á infância e é seguramente falar da pessoa mais generosa, mais sensível e mais inteligente que passou pela minha vida e pela de quantos tiveram o privilégio de privar com ele.
Perdão pai, por aqui as coisas não andam famosas. Descansa em paz e espera por mim que preciso do teu abraço.
A todos os que me lerem mesmo sendo poucos, deixo um abraço e o desejo de um bom final de semana..

76 comentários:

A toca do roelhinho disse...

Já estou baralhado, impressão minha ou já hoje aqui vi outras coisas que desapareceram.. Deve ser da gripe A.Fiz confusão certamente.Bom final de semana..

Laura disse...

Oláááá, mas que lindo post,lindo memso, leva-nos ao tmepo em que a familia caminhav ajunta para todo o lado, das cestas da merenda, do pão d emilho, peixinho frito e coisas boas que a mãe fazia... que bela forma de contar as caçadas,(ahhh, pobre do guarda florestal e doc avalo, ahhhh) a pescaria daquele tempo, e dos tempos em que tinhamos Pai...
Ao contrário do teu, o meu não caçava nem pescava, lembro de ver um pescador dizer ao pai que ia atirar as redes para ele, no açude em v verde da Raia, e lá veio a rede cheiinha de peixinhos pequeninos e a brilhar, era um fim de tarde, havia magia no ar, porque é uma terna recordação, esta que guardo, depois a mãe limpou aquilo tudo e fritou, fez um arrozinho, eu devia ter uns 6 anitos, e que bem me lembro...
Tu sabes fazer, encher os cartuchos? apre, menina, arranjar coelhos e peixe nem é o meu forte... tenho pena dos coelhos, coitados, mas,tem de ser...
Beijinhos nina Ell, gostei de te ler, sentir e rir..laura.

Crisálida disse...

Infelizmente meu pai nunca foi dado a essas artes de pescar ou caçar, ainda bem, apesar de ser lindo nenhum de nós saberia como tratar desses bichos até ficarem comestiveis. Infelismente também não sonhava rebuçados, ainda hoje do alto dos seus 92 anos deve continuar a sonhar com copinho de águardente.. Continua a contar tuas histórias, fazem recuar no tempo e dão a impressão de que voce e seus irmãos devem ter sido crianças muito felizes.Bom final de semana, e venho reclamar mais das suas aventuras de criança.

EDUARDO POISL disse...

AMIGOS

«Mais que uma mão estendida
mais que um belo sorriso
mais do que a alegria de dividir
mais do que sonhar os mesmos sonhos
ou doer as mesmas dores
muito mais do que o silêncio que fala
ou da voz que cala, para ouvir
é, a amizade, o alimento
que nos sacia a alma
e nos é ofertado por alguém
que crê em nós.»


Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho.
Abraços

Pascoalita disse...

Olá, Ell

Recordar também é viver. Há momentos em que sentimos a necessidade de recorrer a lembranças para nos sentirmos próximos dos que amamos.

Deixo um beijinho

A toca do roelhinho disse...

Que se passa que parece que ontem, tinhas aqui outra postagem? Será impressão?, não, não é de certeza porque até te deixei comentário que não aparece. Chegar de fárias deizou-me ainda pior..Ai se o patrão ouve..Beijinho, continua..

EDUARDO POISL disse...

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.
(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl.

Sofá Amarelo disse...

Uma dádiva nunca vem só... foi por isso que comentaste tantos posts meus - muitos beijinhos e muitoooo obrigadooooo!!!!

Boa semana!!!

Laura disse...

A nina quando for grande quer ser caçadora como o pai? mas, e o guarda florestal? hum...estes de agora atiram a matar, ehhh tens de ter pernas para correr...Beijinhos.

EDUARDO POISL disse...

"Que seja eterna a vitória dos seus dias,
mesmo quando eles lhe derem
a impressão de fracasso.
E nunca se esqueça que atrás das nuvens
sempre existirá sol."

(desconheço o autor)

Hoje passando para desejar um lindo final de semana com muito amor e carinho
Abraços do amigo Eduardo Poisl

jofre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jofre disse...

Nunca entendi o que aqui se passou, reparo no entanto que foi algo que a seixou magoada , percebe-se também que o que quer que tenha sido veio de familiares o que deixa no ar a certeza de que quem tem familia assim dispensa inimigos.Sabe que as companhias ! Tenha um final de semana bom e tente ficar indiferente a gente mesquinha.Não tenho conseguido avançar com o trabalho que tinha em mãos e que lhe dei a conhecer, ma já tenho alguém mais entendido que se prontificou a ajudar,Boa semana, um abraço

tulipa disse...

CONVITE:
Estive 5 dias isolada do mundo, num encontro espiritual comigo mesma, num monte alentejano e, por isso tenho que muito rapidamente divulgar a minha próxima exposição de fotografia.

Desta vez será no “Norte” a pedido de várias pessoas, em Fevereiro passado, quando foi a minha 1ª exposição individual aqui próximo de Lisboa, na margem sul.
Como gosto de desafios, houve “alguém” que me desafiou e disse que colaborava, nem pensei 2 vezes e decidi tratar do assunto em Abril passado.

Chegou Setembro e será a minha rentrée cultural.
Fica o convite para quem vive perto e noutros casos, em que a distância impossibilita a presença de tantos bloggers, fica a participação do evento.

Venho reforçar que teria todo o gosto em que estivesses presente na minha rentrée.
Será muito próximo do Porto, em S. Mamede de Infesta.

Acabei de fazer a divulgação no meu blog.

Abraços, TULIPA

Cusca Endiabrada disse...

Olá, nina linda :)*

Devo estar pitosga, porque não vejo qual a necessidade de fazer obras num espaço tão acolhedor. Até parece pintado de fresco e está sempre tão cheirosinho ...

dentadinhas

Sidney Ramos disse...

Saudades que senti de você e suas palavras sempre de carinho e que traz um ideal de futuro com amor e solidariedade recheado de poesias.
Beijos e Abraço.

Ofeliazinha disse...

Adoro uma boa estória.

Nilson Barcelli disse...

No que se refere à caça, a minha infância não deverá ter sido muito diferente da tua (também gostava de carregar os cartuchos...).
Apesar de familiarizado com a caça, espingardas, coelhos e demais espécies cinegéticas, nunca dei um tiro...
O meu oai nunca foi pescador. Eu, sim... ainda que fraquinho...
Ler textos como este é uma delícia. Mas devias escrever mais...
Beijo.

Bichodeconta disse...

Nilson Barcelli..
Obrigada amigo pela visita e pelas palavras de carinho e amizade.. Ainda tenho carta de pescar, infelizmente não é uma coisa que vá fazer sem companhia .. Nem me preocupo se apanho peixe, a minha preocupação é que comungo de um espaço delicioso , a Natureza.. Estas coisas enraízam-se. Adoro farra, infelizmente ao sair da terra vai-se para lugares onde as pessoas não nos conhecem, nós não conhecemos e cada um fecha-se na sua carapaça de protecção..Quanto ao dever escrever mais, bondade sua, há aqui quem gostaria que eu fechasse a porta.. Não o farei, eu escrevo para mim, sem pertenção de grandes alaridos ou selos de prémio..Tal como a grande Palmira Bastos, grande atriz Portuguesa, um dia ao ser nomeada pelo presidente para receber uma medalha de mérito, recusou dizendo que não tem peito para medalhas..O unico selo que gostaria de ter um dia, depois de crómada, seria algo que relembrasse o quanto gosto dos seres humanos, o quanto sou desprendida de valores materiais.. E um selo que evidenciasse que o meu descontentamento pelas injustiças da vida.. Um abraço, volte sempre, a casa está á disposição , a porta está entreaberta..

Laura disse...

Atão minina, a coisa vai ou quê? vamos a sair da toca e escrever as coisa slindas do outono...Bora pra cá..sinto saudade da nina Ell...vamos lá, sacudir o capote e sentar no alpendre...beijinho da laura

A toca do roelhinho disse...

Vim ver se já não estavas enrolado bicho de conta, estavas assustado por te tratarem mal.. Mas volta, eu gosto de te ler e quem não gosta é por dor de Corno..Hoje vou mandar-te um imel como diz aquele senhor, já li as folhas que mandaste e achei que podemos fazer dali um trabalho que feche a boca a muita gente.HÁ UMA PERGUNTA QUE TE QUERO FAZER SOBRE GENEALOGIA, MAS FAREI TAMBÉM POR IMEL..POSSO MANDAR-TE UMA ALHEIRA? QUEIJINHOS AZEDAM ATÉ LÁ..Escreve bicho, sem medos..Ha aqui alguém que seja dono desta treta?Vou ali comer umas ervinhas e volto.

Nilson Barcelli disse...

Da pesca, acho que tem alguns aspectos interessantes, nomeadamente o treino da paciência.
Escrever não pode ser um dever, a menos que nos paguem... eheheh... mas há quem goste do que escrevemos e, por isso, algum esforço, moderado, não faz mal nenhum.
Eu não escrevo para mim. Se o fizesse, não tinha nada escrito. Escrevo para os outros. Mas quase nunca escrevo sobre mim.
Um beijo.

Bichodeconta disse...

Nilson Barcelli...
Reflectindo sobre suas palavras, talvez tenha razão..Mas seguramente se não escrevo pra mim ou de mim, escrevo porque de o fazer..Agradeço como sempre a sua visita, um bom final de semana.

Bichodeconta disse...

Laura...
Olá, espero que tudo esteja bem contigo e teus filhotes..Não estou na toca, nem escrevo coisas lindas, ambas o sabemos..Escrevo porque gosto e me apetece, mas se olhares para alguns comentários percebes que foram feitos no sentido de me afastar..Não vale a pena tapar o sol com a peneira,eu já fui maltratada que chegue, nãop vou permitir que me aconteça novamente e por quem ben deve. E depois para quem não saiba, há pessoas que tem vida para além do blog.. A minha amizade por ti continua intacta, mas há assuntos em que é melhor não entrarmos..Um beijinho..

Sofá Amarelo disse...

As maiores beijokas outonais.....

tulipa disse...

HOJE faço uma homenagem à minha sobrinha Tânia do Bookcrossing, falecida em Março passado:

Minha querida, um “grande amigo” recente, também da blogosfera, mas já real, em Abril passado, já depois da tua partida para sempre da minha vida, fez o percurso “Caminhos de Santiago” ( conheceu-te através de mim, do meu sofrimento, da partilha de emoções) e, juntamente com os seus companheiros de caminhada rezaram por ti e fizeram uma oferta pela tua alma, deixando no local um símbolo e umas florzinhas do campo.
LINDO, não é?
Aqui estão duas imagens desse “momento”.
Faço-te homenagem nos meus dois blogues, neste "teu dia".

Paulo Sempre disse...

«Eram Estórias contadas á lareira, pelo meu pai, ás filhas, seis meninas hoje mulheres, claro.»

Tanta menina, hoje mulheres...
Imagino que todas as estórias começava assim: Era uma vez...
Imagino, ainda, que todas as estórias tinham um final feliz.
Infelizmente nunca me deixei dormir embalado por estórias contadas noite dentro.
Ainda assim, há a minha própria estória. O meu deserto mais longo....

Bjs

Sidney Ramos disse...

Olá Ell,
Estava sentindo falta de sua chegada por lá.
desta sua mão que afaga o coração e a auto-estima deste poeta menor.
Beijos e abração.

Laura disse...

Meinina, a caça abriu, andas plos montes do Alentejo? atão? bora, post de alegria e sinfonias...beijinho da laura que espera por ti

Sofá Amarelo disse...

Em breve vou fazer um post com uma selecção dos comentários mais bonitos que já me deixaram e de certeza que muitos dos teus - nomeadamente este último - constarão desse post em primeiríssimo plano.... Obrigado! Muito obrigado, uma boa semana e as maiores beijokas!!!

tulipa disse...

RECORDAR É VIVER.

Estou tão deliciada com as suas histórias de vida.

Criei um novo género de post, uma ideia que tive, aproveitar as minhas muitas fotos, são centenas e juntá-las a uma poesia, onde exista uma palavra que tenha a ver com a minha foto.
Quer espreitar esta nova ideia?
Espero por si.
Aguardo a sua opinião.

Beijo e abraços.
Boa semana.

Osvaldo disse...

Ell;

Que bela estória (real) tu nos contas...

Não te imaginava caçadora de andares pelo vasto alentejo aos tiros, mas fiquei feliz de ler esta crónica de amor que teu pai distribuia pelos filhos.

Fico contente de ler filhos que relatam emocionados a vivência que tiveram com o pai, porque normalmente é mais fácil falar da mãe, que claro, também merece ser adorada pelos filhos. Mas esta "Crónica a um Pai" no caso o teu, mostra a ternura com que a ele te referes, o que mostra que ele foi um verdadeiro Homem Chefe de Familia...

Parabéns Ell e bjs,
da Ana e Osvaldo

Je Vois la Vie en Vert disse...

olá Bicho de Conta,

Cá vim para conversar contigo e desfazer talvez uma mã interpretação das minhas palavras.
Por acaso, antes de deixar o meu comentário no Moa, vim para cá mas como achei o teu blog parado desde Julho, pensei que estava fechado.

Senti que ficaste aborrecida com o meu comentário e até me chamaste Sra (este detalhes, já os percebo) e se for, peço imensa desculpa por isso porque a minha intenção não foi essa.

Tens que saber alguma coisa sobre mim : sou de origem belga, a viver há 35 anos em Portugal, a tentar ter a delicateza dos portugueses para dizer as coisas mas nem sempre consigo, sou muito espontânea e às vezes demais e posso ferir as pessoas sem sequer ter pensado um segundo em fazê-lo !

Está então aqui uma primeira diferença entre o meu marido e eu : ele pensa antes de falar e eu não...Ele é moreno, sou loira...

Quando falaste de ter os mesmos gostos

"Viver com alguém que não partilha os mesmos gostos pela vida, pela música, por todas as formas de ARTE,por partilhar um tempo á beira mar numa cumplicidade avassaladoura,ou caminhar por trilhos entre giestas e arvoredo, e sorrir quando um coelhinho salta a medo,Assistir a um por de sol embevecidos,",

achei muito bonito mas um pouco raro e foi por isso que falei da tolerância e do respeito porque acontece que o meu marido e eu temos gostos diferentes mas cada um tem as suas actividades e ninguém impede o outro a ter uma ou outra nem as critica.
Ele é muito caseiro e eu sinto-me bem fora de casa, não sendo propriamente uma boa dona de casa...

Ele tem os seus amigos, eu tenho os meus e convivemos perfeitamente com uns ou outros e até alguns tornaram-se amigos dos dois.

Ele gosta de fazer desporto e sou super preguiçosa para este tipo de actividades (tb tenho grandes problemas de coluna).

Canto num coro e não o peço para ir ver os nossos concertos todos, ele fica em casa a ver o futebol....

Neste momento, ele está a almoçar com amigos e eu estou a escrever para ti...

E eu podia te dar muito mais exemplos... malgrado muitas diferenças, entendemo-nos muito bem e sou feliz.

Estás a perceber, espero eu, que não quis de maneira nenhuma magoar-te ou criticar-te.

Também sou muito brincalhona e quem não me conhece pode levar a mal frases que digo seriamente por fora mas a brincar por dentro.

Se continuas a ter alguma desconfiança que eu quis ser mã contigo, pergunta aos membros do grupo de Tabuaço e acredita que fiquei desolada por ter começado uma correspondência contigo desta maneira, ainda por cima, li que tiveste comentários desagadáveis no teu blog. Foi um pouco como enfiar um prego a fundo numa ferida e por isso peço imensa desculpa de novo.

Espero que não me vais chamar mais Sra mas Verdinha porque nunca mato bichinhos de conta :D

Estou perdoada ?

Beijinhos da

Verdinha

Bichodeconta disse...

Olá, eu estou é "Verdinha" de feliz por te ter aqui..Não, não fiquei magoada, mas dado o estado de saúde do Moa tive receio que ele próprio não gostasse. Eu sei, ele é gente boa assim como acredito que sejas uma pessoa maravilhosa, mas todos os comentários desagradáveis, deixaram-me como que de pé atrás. Lamento, não sou pessoa conflituosa, bem pelo contráriom adoro brincar e consigo rir de mim própria , fazer humor com coisas minhas.Sou amiga, leal, conversadora, simples, Dizem que sou inteligente, e porque me dá geito, acredito!Puseste exctamente o dedo na ferida que queria tocar quando falei que as pessoas não são seamesas, não estão coladas, e por isso podemos partilhar momentos com os nossos amigos , mas volto á mesma tecla, de vez em quando é bom guardar algum tempo pra nós casal, Eu também não conseguiria chegar á cama e (abre a perna e aqui vai)Fazer amor, não sendo obrigatório ou não sendo o pilar que segura a relação, e , na minha opinião muuito importante. Como chegar á cama e amar uma pessoa com a qual passei o dia de costas voltadas? Podemos fazer coisas diferentes, não sair sempre juntos, seria uma tortura obrigar alguem a seguir cada um dos nossos passos, mas se durante o dia, mesmo longe se troca uma mens, um olhar mais atrevido, um toque de pele maroto, naturalmente ao chegar á noite meio caminho está andado para que possamos estar em harmonia.O meu meia laranja faz desporto regularmente, treina de semana e ao domingo faz provas, normalmente vou com ele e faço a caminhada dos pequeninos 3 ou 5 km mas a andar e ontem fizemos a prova de Oeiras, correr com o Tejo, imagina, a prova começa em Algés, e termina em Oeiras , São dez km, e dá muito geito á chegada já ter o carro lá , esse é um dos meus papéis, digamos que sou o carro de apoio, na meta já estou com a toalha é espera pra ele se limpar.Mas claro que também ele vai jantar com os amigos dele , por vezes e comigo pode acontecer o mesmo, sem criticas ou problemas. Gostaria de te conhecer, e quem sabe um dia!Peço mil desculpas se te pareceu que fiquei zangada, nada disso, por vezes até pareço agressiva pela convicção com que falo ou escrevo, mas quem me conhece sabe que não. Um beijinho, e espero continuar a merecer a tua visita e as tuas palavras de carinho.Bem haja, boa semana.

Desculpa se aí for algum erro, é que por vezes na pressa de teclar, acontece.

Graça Pires disse...

Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no meu "Ortografia".
Não sei se sou a tua amiga, mas posso passar a ser...
Nasci na Figueira da Foz, moro na Parede, agora. Trabalhei em Lisboa durante muito tempo. Há alguma coisa que eu deva lembrar-me?
Um beijo. Voltarei a este espaço.

Bichodeconta disse...

Graça Pires....
Não, não eras a amiga que pemsei porque é da minha terra(que é o Alentejo!)Mas estou de acordo, podes passar a ser, até porque a amizade é pouco cultivada entre as pessoas. Moro em Alhandra, mas como disse sou do Alentejo.Tem graça, acho que nunca fui á parede! Ainda ontem vinhamos da prova de atletismo Algés/Oeiras e demos umas voltas , a certa altura estavamos a passar á Buraca , e no palavra puxa palavra fartámo-nos de rir.A Parede fica perto do Estoril, verdade? ou a minha cultura geográfica anda por baixo.. Há algum tempo também trabalhei em Lisboa, na Rua Alexandre Braga, mas não foi muito tempo.. Muito tempo fui vendedora por quase todo o País , conheço e amo a Figueira da Foz, Buarcos.No dia em que fazia essa volta de manhã já estava em coimbra onde passava o dia todo, tinha aí nuitos clientes,á noite, e como no dia seguinte iria fazer Montemor-o-Velho, pensei da primeira vez que seria mais fácil arranjar onde dormir já próximo do lugar onde começaria o dia seguinte.Cheguei a Montemor-o-Velho Noite alta, com chuve e sem conhecer o lugar.As voltas que dei até encontrar a Pousada do Abade João, inóspita, impessoal, fria, mas lá fiquei.. Valeu que no outro dia ao chegar á primeira cliente, a D. Maria José Grácio ele ficou fule e disse que a partir daqule dia ficaria na casa dela que era enorme , exitei, mas aceitar foi a melhor coisa que fiz, ela e as filhas que tem lojas de decoração, são pessoas deveras acolhedouras e os serões passaram a ser muito mais calorosos. Ao outro dia, Figueira da foz, estacionava cedo, ia ver o mar e as gaivotas e só depois começava o dia de vendas. Parabéns por seres de um lugar tão bonito. Quem sabe se algum dia podemos combinar alguma coisa e ir até á Figueira.Um beijinho, desculpa porque eu sou uma melga.Boa semana, Ell

Graça Pires disse...

É isso: "a amizade é o lugar da terra onde as maçãs brancas são mais doces", disse Eugénio de Andrade. Eu concordo com ele. Também gosto muito do Alentejo. Temos lá uma casita perto de Portalegre. Às vezes passamos lá o fim de semana. Na Figueira da Foz aprendi a amar o mar. Agora vivo ao pé do mar, na Parede, perto do Estoril, sim. Obrigada por este momento. Um beijo.

Bichodeconta disse...

Deixa-me adivinhar! Alpalhão?Assumar?Monforte? Veiros? STº Aleixo? Fronteira? SOUSEL? Marvão, minha paixão?Castelo de Vide? Crato? Flor da Rosa? Alter do Chão?ARRONCHES? stº Eulália?
Dificil, mas seja onde for é certamente um lugar de encantos. Um beijinho, Ell

Graça Pires disse...

Arronches, Esperança. É um cantinho delicioso.Beijos.

Bichodeconta disse...

E eu não sei? Gosto tanto desses lugares.. Beijinho, e quem sabe um dia a caminho do Alentejo nos encontramos em Vendas Novas onde se comem as melhores bifanas do mundo e arredores. Beijinho de hortelã e Lucia Lima.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Bien chère Cloporte,

Mais oui je parle français.
Tous les textes de mon blog sont en français et je les traduis en portugais (sans l'aide de personne, c'est pourquoi il a a des erreurs...)parce que je sais que beaucoup de mes lecteurs me lisent en français et vont confirmer dans le texte portugais ce qu'ils n'ont pas compris.

Percebeste ?

Parles-tu français ? ou parlez-vous français?

Se viestes nas minhas aulas, tinhas que me ouvir a falar francês durante toda a aula !!!

Bisous, ma chère Cloporte (tive que ir ver ao dicionário porque já não me lembrava do nome em francês...)

Laura disse...

Ehhh, tou cheia de rir com a reinação no blogue do nosso amigo...o nosso escritor, Poeta, magistrado, enfim, o homem anda a apaixonar as ninas todas, ah, ganda homem, ganda homem e eu sou a candidata ao rolo da massa, enfim..beijos e abreijos...

Bichodeconta disse...

Vou reponder em Portugues, né, não quero fazer má figura, mas sim, falo e dizem que tenho muito boa pronuncia, infelizmente não convivo com pessoas que de pra treinar a lingua.Tenho até um autógrafo do Meu amigo Saramago dedicado á sua amiga que em seis meses aprendeu Frances. Eu falava todo o dia sózinha afalar Frances, lavava roupa no tanque varria a casa acho que até dormia a pensar nas expressões, Nos verbos e tinha uma colega de escola(convém dizer que eu aos 25 anos tinha a 4ª classe, e fui nessa altura estudar á noite. A colega,já com mais idade, eu diria bastante mais, a D. Maria do Carmo esposa do dr Valentim Fernandes tinha ido e muito bem, tentar aprender mais algumas coisas, dizia ela e acredito que quando saia com os filhos se sentia de certa forma um pouco á parte por não ter alguns conhecimentos que a eles lhes eram facultados nas escolas. É uma senhora deliciosa e dizia prá nossa professora que era o máximo.SENHORA PRODESSORA EU HOJE SEI O VERBO ETRE TODO, ESTIVE A ESTUDAR ATÉ ÁS CINCO DA MANHÃ._ENTÃO DIGA MARIA DO CARMO:
E ela começava.
je suis
tu est
ile et
nous avons
vous avez
iles ont
Gargalhada geral, a professora dizia, ai MARIA DO CARMO PORQUE NÃO DORMIU ANTES A NOITE TODAS?
perdão pelos erros.beijocas

Je Vois la Vie en Vert disse...

Gosteeeeeeeeiiiiii !

Também ensino a adultos como voluntária.

Beijinhos

Verdinha

Bichodeconta disse...

Je Vois La Vie En Vert.............
.........................
Ça va ma chér je vois la vie en Vert.Aujourdeui je vios la vie en Noir. Ademain.
Come vous apelez?..
Je suis Elvira Mais mes amis toujur on dit Ell

Deve ser uma confusão..

Kim disse...

Só hoje descobri quem era a Ell.
Até parece que nem ando neste mundo.
A Dolce gosta imenso de ti e pelos vistos eu também vou gostar.
Também pensei que o blogue estava fechado.
Podes estar à vontade com as belgas, os tabuenses,os verdes e os encarnadas. É tudo malta fixe que não gosta de estar mal com ninguém.
O teu Saramago é que é pior. No meu próximo post, aceita as minhas desculpas.
Um beijo

Bichodeconta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...

Olá Kim, que boa visita, obrigada pela tuas sempre simpáticas palavras. Até tenho pena de não estar mais perto de vós, preciso de trinar o meu Frances e a verdinha era a pessoa ideal. Não há por ai uma casinha pequena, muuuuuuuuuuuuito barata pra eu me pisgar daqui?Também eu não gosto de estar nal com quem quer que seja e nem percebo essas zangas. Quanto ao meu Saramago , numa boa. a tua opinião é sagrada e não altera em nada o que sinto por ele como pessoa que conheço e me ajudou muito económicamente. Mas sem stres amigo.. Kim e agora ?Ao Moa mando Abreijos, Pra voves mando Abrijaços . Bom domingo e claro eu que gosto de escrever ando a escrever prá minha gaveta.EVITA CONFUSÃO.

Bichodeconta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...

Osvaldo disse...
Ell;

Não compreendo... o que queres dizer com isto?!.

Não deverias postar algo que nós não podemos ver. Sabes que tem muita gente que te aprecia e isso vê-se nos comentários dos posts anteriores...

Coragem, reage e volta a ocupar um lugar que por direito é teu na blogosfera.

bjs,
Osvaldo

1/Nov/2009 12:41:00

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Ell,

Tu veux perfectionner ton français ?
Alors, tu peux me rendre visite et faire tes commentaires en français mais moi j'aimerais aussi faire des commentaires sur ce que tu écris et il y a longtemps que ce week-end du mois de juillet est passé !
Je suis un peu moins présente sur la blogosphère car mon mari a été opéré et il est encore à l'hôpital. Une opération orthopédique un peu lourde mais rien de grave, heureusement. La récupération va prendre du temps aussi donc ne t'étonne pas si tu n'as pas toujours de mes nouvelles.

Bisous

Verdinha

C'est le nom que m'ont donné mes amis et je n'indique pas mon vrai nom sur le net.

Bichodeconta disse...

Je vous remercie, mais vous avez besoane (necessidade) de faire une correction a tout ça que j`ecrie.
Ill a beucoup de ane que j` n` ecrie en Francais..Longtemps e je ne oblier les mout . Ancore j´ veux choisir et chercher un dictionaire qui vá me aider a regarder les mouts e les expressions idiomatic..E ui, je veux perfectinner mon Fraçais, E tu á demander porqui ? E vas dire ,ell é malade .Ui en petit peu.J`aime aprie a liser e parler avec tout les persone.
Ne pas veux oblier tes commentaires ta generositai aussi .
E tom mari ill é dejá recuperét ? Je suis heureuse mon amie.
Pardon. Je te comprend une outre fois .Notre identite cet notre seulement.
Bisous. Ell

Bichodeconta disse...

verdinha,,
non chercher, mais acheter, cet vrai?
bisous, Ell

Je Vois la Vie en Vert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Je Vois la Vie en Vert disse...

Chère Cloporte (Bicho de conta),

Tu peux chercher (procurar) et acheter (comprar)un dictionnaire.
Tu sais quel est le probléme de la plupart des portugais quand ils écrivent en français ? C'est qu'ils font la traduction alors qu'il faut penser dans la langue pour l'ecrire et la parler correctement.

Si tu veux savoir plus sur les cours de français que je donne comme bénévole, dans un endroit pas loin de chez toi, envoie-moi un mail à

vert.verdinha@gmail.com

Je parle en français pendant tout le cours...au début c'est difficile mais c'est la meilleure façon d'apprendre !

Bisous

Verdinha

Sofá Amarelo disse...

Muitos beijinhos!!!! Bom final de semana!!!

Alexandre Júlio disse...

Olá ELLita do meu Além-Tejo!

Parece que estamos a competir com as férias, que demos aos nossos bloguitos, ma não!

O Bichodeconta voltou "messenger", tornou-se mais um espaço de dialogo, ora em Francium, ora Alentejanum, ora Portuguesum, ahahah!

Por acaso estacionastes neste Post! Mas vida é o que na falta no teu bloguito, o mesmo não posso dizer do meu, que tem estado numa sesta profunda, desde o ultimo Passeio maravilhoso.

Quando Post'u, tem que ser a sério, como o tempo não tem dado tréguas, o próximo Post continua a ser um projecto adiado, infelizmente.

Notei que tambem têm surgido uns comentários indesejados pelo teu Blog, pelos iliminados, ... não esperava desta!

A continuação de bom desporto, Bom Fim de Semana, Boa disposição, Saúde - Tudo de Bom,

Beijinho, aromatizado com Poejo da Fonte dos Sismarros.

Bichodeconta disse...

Ai Alex que boa esta visita, obrigada pelo conforto que ela trás ao meu coração.Sem stres Nina, Há formas e formas de amar, há que saber distinguilas. Sem stres. O contacto convosco é maravilhoso, é-me muito importante.
Quanto ao Francium , Portugusum e Alentejanum ehehehe, isto não se fica por aqui, nem estou a dizer que sei, mas desenrrasco-me onde quer que seja, mesmo o Cirilico um destes dias vou tentar aporender a escrever pelo menos as palavras que sei dizer e são muitas. Algumas até impublicáveis ehe. Confesso que por vezes passo no Abelhinhas para reler o que tão bem descreves das vivencias por ai. Concordo, quem conhece o Alentejo, Quem está enraizado nessa terra.

Queimada esta terra
De sangue regada
É o Alentejo
É terra sagrada..

E claro que o nosso olhar vai mais alem.Diria mesmo como António Aleixo.

Grande coisa é ser alguém
Grande coisa é ser artista
Ver as coisas mais além
Do que alcança a nossa vista.

Vamos lá arrankar tempo para novos trabalhos. Tenho saudades do Alentejo, não de passar, afinal ainda agora morreu a minha tia Arminda e claro que estive lá dois dias e voltei á missa de sétimo dia, aí já não por ela , mas pelos primos, oito pessoas magníficas e em cujo convivio busco força para acalentar coisas menos boas.
Espero que tenha ficado percebida a história dos apagados e dos não permitidos, mandar-te-ei msn a contar o começo, só para que se perceba que nem tudo o que parece, é. Até de tribunal fui ameaçada, pouco me importa, não sou pessoa de medos. Cedo aprendi que mais vale partir que vergar.Comentarei as vezes que o assunto me interessar, não trato mal quem quer que seja, e tão pouco me importo que apaguem. A ti á tua Nina e aos filhotes um abraço grande, e falar nessa herdade onde tanto trabalhei, onde já fui tão feliz é muita maldade porque eu tenho saudades desses lugares. Quarta feira passada almocei em Mora.Adivinha o que? Migas de espargos com aquela carninha tão boa ao paladar e tão desajustada ao colesterol, que felizmente não tenho..Beijinho, e bom final de semana.Ell
Perdão se por aí vai algum erro, é que até iletrada me chamaram, como se os iletrados deste país que é o nosso tivessem culpa de não terem quem os mandasse aprender. Isso só deveria servir para nossa vergonha, nunca para alfinetar alguém que por descuido deixa passar uma gralha.

LS ARTESANATO disse...

olá

obrigada pelos lindos comentários...

de facto aquele é que é o arranjo que estava na Mendiga... o meu medo é em envia-lo, pois como tem uma vela, pode chegar aí danificada... o que acha??

Beijinho

mariam disse...

Ell,

deixo-te um fabuloso poema de 'Pedro Branco'

"Só

Chora. Inventa a tua praia de lágrimas cheia de grão e pequenitas pedras no vai e vém das marés. Depois levanta a cabeça para o sol e oferece-lhe um sorriso. O teu sorriso.Talvez a medo. O Sol saberá guardá-lo e mostrá-lo ao mundo. Nesse momento voltaremos a cantar. Na aragem dos poetas..."

apeteceu-me, espero que gostes :)

fica bem

um sorriso :)
mariam

Andre Moa disse...

QUERIDA BICHODECONTA:

O QUE EU TENHO PERDIDO POR NÃO TE TER VISITADO!
As dores, sabes,por vezes, retêm-nos em «casa» e não nos permitem fazer visitas. Mas vou passar a ser, pelo menos tentar ser, uma visita assídua desta tua bela e tão donairosa casa. De ideias tão firmes e tão arrumadas.
E viva Saramago!
Quem leu Mau Tempo no Anal - Diário de Um Paciente, já sabe o que eu sinto por ele e o que penso dos seus detractores. Não tenho saúde nem predisposição para terçar armas contra pessoas dominadas pela ira, pela inveja, pela raiva, pela intolerância, pela obnubilação religiosa, pela suprema alieanação que o ser humano inventou e apelidou de deus.Com D grande e tudo, claro, que todos os demais - deuses e homens, os verdadeiros deuses, porque verdadeiros homens - são para abater. Até há duzentos anos, queimados vivos; hoje, moralmente despidos e apedrejados na praça pública.
E mais não digo. Parabéns pelo desassombro. A partir de hoje virei bater-te com a frequência que me for permitida, a esta tua tão atraente porta. A atracção maior é quem dentro dela se move com denodo e arte: és tu.
Abreijos
André Moa

Laura disse...

Ehhh, olha que ele é
procuro pla bicho de conta
pra que mude o post
pra nos rirmos a desbravar
e quem venho encontrar
o nosso amigo Moa
todo infinito a versejar...

Menina vamos ao post
que fale de alegria
não meta politicas
e sim poesias
não fale de homens
nem de mulheres
fale apenas de risos
de pouco siso
e ironias!...

um beijinho, vou às aulas e..já ando a correr pla casa..Biejinho da laura

Dad disse...

Para os Bloguistas de hoje:
Gostei de estar convosco.
Peço desculpa se não vos visitar muito nos Blogs mas,
Como tenho muito que fazer, o tempo não chega para tudo e
Também não tenho andado inspirada para escrever...

Gostei do dia que passámos juntos e espero voltar a ver-vos proximamente.

Um grande beijinho,

Bichodeconta disse...

Dad, foi de facto um dia maravilhoso, prova de que nem sempre é preciso gastar muito dinheiro para se passar um bom bocado. Gostei de todos sem excepção, e este passará a ser um lugar de passagem e paragem obrigatória.Deixo um agradecimento pela partilha , pela companhia agradável.Espero que os nossos caminhos se voltem a cruzar.Por agora fica um abraço, um beijinho e o desejo de que o sucesso das suas obras continue em frente. Fiquei com pena de não ter pedido contactos telefónicos ou de mail, mas também não sabia como as pessoas, não me conhecendo iriam reagir. Servirá então a net como meio de alimentar esta amizade que juntei a tantas outras. Voltarei..

Paula Raposo disse...

Gostava eu de te enviar um mail, mas não vejo aqui o endereço. O meu está no meu perfil. Gostava de te agradecer as palavras.
Beijinhos.

Bichodeconta disse...

Aqui fica o endereço que também está no blog.Não faz mal enviar pela net, se alguém mandar coisas feias eu deleto.ebesuga@gmail.com.Amei conhecer-te e espero que possamos voltar a encontrar-nos e a comunicar. eSPERO MERECER O TEU CARINHO.pARABÉNS PELA FILHA LINDA.Tem o olhar sereno da mãe , e gurda a magia da juventude.beijinho ás duas, Ell

Laura disse...

Ora pois, quem diria; e a festa continua a destilar alegria, novos e possiveis encontros, ah, porque estarei tão longe de todos? já sei, o rios esgotaria, deve ser isso..Beijinhos, amei conhecer-te ó pariga giraça linda de alma e coração, é que eu vejo primeiro a vestimenta de dentro...um xi apertadinho da laura..

Je Vois la Vie en Vert disse...

Bonjour ma chère Cloporte !

Agradeço as tuas amáveis palavras deixadas no blog do Moa.
Foi um momento bem passado, não foi ?
Infelizmente, neste tipo de reunião, temos que dividir o nosso tempo para tentar conversar com todos !
Gostei de te conhecer e espero que esta amizade que está a nascer continue a crescer fortemente.


Tive tanta pena que acabasse este momento, eu teria ficado toda a noite, metendo o meu cansaço e as minhas dores no bolso.... aliás com a adrenalina da amizade, esqueci-me delas !

Li algures :-) que tencionas retomar as publicações no teu blog e acho muito bem !

Fico à espera da tua visita e do segredo que vais deixar por baixo da minha porta ! Terei muito gosto em te receber no meu espaço !

Um beijinho

Verdinha

Laura disse...

olá menina bichinho de contaaaaaaa...post novo post novo ehhhhhhhh...novidades lindas fotos que sabes tirar, aminha maquineta embirrou comigo... so tira fotos se ligada á corrente, que atrevida, sem corrente num abre e prontos..beijinhos, laura

Alexandre Júlio disse...

Olá Miguinha du Monte "Lavar"

Venho desejar-te Boas Festas, nesta quadra Natalícia que se aproxima, muito Amor, Felicidade e Carinho pelo vosso lar, que a Saúde esteja sempre por perto.

Bom Ano Novo e 2010, se possível melhor que este que agora finda, que não foi fácil.

Boas Festas, Alexandre

Dad disse...

Venho por aqui só deixar um beijito|

Je Vois la Vie en Vert disse...

Há uma festa de novo !

Junta-te à festa da Laurinha no

http://jevoislavieenvert3.blogspot.com/

Beijinhos

Verdinha

Laura disse...

Ehh beijinhos pelos parabnes, espero que ainda te segures de pé...é que em cada festa uma garrafita e copos pra todos, ui, acho que já vejo muita gente em vez de uma só, mas...beijinhos, laura,feliz por te conhecer...

Bichodeconta disse...

Laurinha.....
Quando o meia laranja chegou rimos exactamente porque eu disse: Já fui a tanta casa festejar os anos da Laurinha que se tivesse bebido um copo em cada lugar de festa estava de gatas.Viva o mundo da fantasia, do fantástico, do faz de conta, assim fica a festa feita e amanhã evita-se a ressaca.Já sei, tem cá os seus meninos, que bom querida e dolce Laura.Beijinhos, Ell

Brancamar disse...

Olá menina Ell,

Gostei de ler as tuas recordações de infância junto do senhor teu pai, homem generoso e que parece ter-te marcado muito.
Uma infância livre e feita no campo.
Sei o que isso é, só não percebo nada de caça, por aqui era mais uma vida passada com vizinhos lavradores, também no campo, mas noutras culturas, adorava esconder-me no milho e sentar-me em cima dos carros de bois e adorava as vindimas. Também fazia de conta que percebia alguma coisa de mecânica, porque o meu pai tinha uma oficina e a minha mãe teve que me fazer um fato macaco para os meus 5 anos, que eu tinha a mania de imitar todas as profissões e querer experimentar, mesmo a brincar, eheheh.
Desculpa só vir cá hoje. Faz oito dias que ainda estavamos todos juntos a esta hora. Gostei muito de vos conhecer, só regressei dia 8 à noite e entretanto tenho pensado muito em vós, mas cá estou quando me foi possível e hei-de voltar mais vezes. A vida profissional e particular não me tem permitido ser muito assídua, mas depis de Janeiro isto vai melhorar.
Entretanto deixo-te um beijinho e votos de Boas Festas, se por acaso não poder voltar antes, já falta pouco.
Com muito carinho.
Branca

Anónimo disse...

Isso foi realmente interessante. Adorei lê-lo